Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diasdechocolate

diasdechocolate

Maio, mês de emoções

O "meu" mês é Abril mas tenho uma adoração por todos os meses que remetam o meu imaginário para sol, calor, dias longos e noites quentes. No fundo, acho que a maioria das pessoas é assim, esperamos largos meses por estes dias maravilhosos e, se Abril já alegra por anoitecer bem depois das 20h, Maio dá o pontapé de saída para os melhores dias do ano. Anoitece ainda mais tarde (yeahhhh), a temperatura tende a subir um pouquito mais, vestem-se roupinhas mais giras e leves, há mais flores para apreciar e uma variedade de fruta de perder a cabeça. Depois, começam as festas: casamentos, comunhões, baptizados, tudo óptimas formas de juntar família, amigos e, claro, comida (combinações imbatíveis)!

De facto, Maio tem muitas coisas boas para apreciar só que, como (quase) tudo,  tem também aspetos....menos bons, vá (para quem trabalha como independente, principalmente!) já que se traduz em duas coisas, ou melhor, duas siglas bem degradáveis de referir: IVA e IRS! Ah pois é! É neste mês que se trata da papelada toda e que se recebe a declaração com a bomba a ser paga, no que toca ao IRS! Deste mal, ninguém se livra mas os trabalhadores independentes são ainda bafejados por essa maravilha de imposto a ser pago trimestralmente, de seu nome IVA, para o qual não se podem apresentar praticamente despesas nenhumas e que nos tira assim, sem dó nem piedade, 23% diretos do rendimento total. Uma autêntica maravilha! Mas calma que nem tudo é mau. Pelo menos, até chegar a Agosto, já que é no típico mês de férias que se faz o pagamento do dito IRS, do IVA (novamente) e, claro, da mensalidade segurança social (para contribuir para a minha inexistente futura reforma). Tudo a contribuir para o desgraçado do independente não pensar, sequer, em comer um calippo na esplanada! Portanto, a quem for trabalhador independente, talvez não seja pior ler apenas o primeiro parágrafo. Assim, ficamos todos felizes porque Maio é fixe e esquecemos essa parte chata que é pagar impostos e merdas e não ter direitos absolutamente nenhuns! Ahhh....espera! Temos um direito: a trabalhar (quando há trabalho!!

2 comentários

Comentar post