Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

diasdechocolate

diasdechocolate

Procura de trabalho em Portugal: um pequeno mas incrível mundo de idiotas

Depois da proposta: enfermeiro faz tudo e limpa a clínica toda no fim do trabalho, eis que ontem me voltei a cruzar com um atrasado mental com o título de doutor. Então vejamos: o senhor (doutor) começa a entrevista avaliando o currículo e vendo as áreas nas quais já trabalhei. Concluída está análise, lança a seguinte pérola:

-Como sabe, esta é uma clínica dentária e médica e, na realidade, eu preciso é de uma assistente dentária, mas como aparece de vez em quando uma injeção para dar, dá-me jeito que também seja enfermeira.

Começamos logo bem! O senhor (doutor) prossegue:

- Aqui pretende-se que faça o seu trabalho de enfermeira, embora o trabalho seja residual, de administrativa e de assistente de dentária. Já vi que não tem qualquer formação em assistente de dentária (porque será...) mas nós aqui damos a formação. Durante uns dias, acompanha a colega que cá está e depois convém estudar um bocadinho os materiais e os procedimentos nos momentos parados que tenha para que saiba o que o dentista lhe está a pedir. Depois, no final, faz um testezinho para saber se aprendeu alguma coisa!

Até aqui, não parece uma proposta de m*rda. Mas não se iludam, a proposta era mesmo uma m*rda. E porquê? Porque durante o período de formação, a clínica não pagaria nada. Na-da! Na-da de na-da! A cereja no topo do bolo foi quando o senhor (doutor) disse que a última colega a entrar na clínica tinha estado em formação quatro semanas. Repito: quatro semanas. Mas o meu tempo de formação poderia ser superior, tudo dependia da minha aprendizagem! Não sei muito bem onde tinha deixado os neurónios para não ter reagido no momento e lhe ter dito redondamente que não aceitava mas acho que o meu cérebro já se começou a habituar a propostas idiotas e já não faz a triagem entre o digno e o ridículo a ponto de ter dito que iria hoje ver como seria. Burra, burra, burra!!!

Mal entrei no carro, comecei a esfriar as emoções e a pensar em alguns aspetos. Em primeiro lugar, porque razão alguém deve trabalhar sem receber. Se é trabalho, pressupõe um pagamento previamente acordado entre trabalhador e entidade, seja em dinheiro ou noutra coisa qulquer. Mesmo que o trabalhador esteja em formação pois se a empresa entende dar a formação ao funcionário é porque entende que ele irá melhorar o seu rendimento e, desta forma, a empresa também é beneficiada. Depois, eu também tenho as minhas despesas. Vivo com os meus pais, é um facto, mas tenho um carro (que não consome água, infelizmente) tenho que me vestir, calçar, carregar o telemóvel, comprar os meus cremes e as minhas tretas. Coisas que as pessoas normais costumam fazer quando trabalham e as empresas onde trabalham lhes fazem aquela coisa do pagamento no final do mês ou, no mais tardar, no início do outro mês! Porque é que aquele senhor (doutor) então considera que no final das suas consultas os clientes lhe devem pagar o serviço e os enfermeiros no final do mês não têm direito a receber o seu dinheiro. Ainda por cima, contrata-os para serem muito versáteis e muito pouco enfermeiros....

Depois, gostava de saber porque raio as pessoas se sujeitam a trabalhar sabe-se lá quanto tempo sem ganhar um cêntimo? Não me venham com a treta que as pessoas precisam e não têm nada e têm de aproveitar tudo porque, nesta situação, não iriam ganhar absolutamente nada e ainda seriam sujeitas a um teste no final que poderia ditar que não ficassem caso o resultado não fosse o melhor! Acredito que em todas as áreas isto aconteça mas, especificamente com os enfermeiros, isto é uma tourada. Para além de sermos aos milhares para umas centenas de trabalhos, a malta tanto quer trabalhar "na área" que se sujeita a condições ridículas e, para além de degradarem as suas condições de trabalho, degradam as condições daqueles que lhes vão suceder! Ninguém lhes agradece o esforço nem a dedicação porque gente que oferece condições destas e depois e se passeia em carros topo de gama, veste roupas caras e vive em casas de luxo, não tem a mínima noção do que é ganhar tostões para fazer face a todo um mês de despesas. Gente pobre, esta. Mas pobre de espírito, como se costuma dizer!

 

 

 

P.S.: Quanto à tarde de formação de hoje, não apareci, não avisei e não me apetece avisar. É mau. É pouco educado mas não está nem perto do nível da pouca educação deste senhor (e de outros) que se gabam de serem médicos, dentistas ou outra merda qualquer mas a sua verdadeira ocupação é  aproveitarem-se do trabalho de outros!

1 comentário

Comentar post