Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diasdechocolate

diasdechocolate

Receitas amigas (antes do Natal)

Já aqui escrevi (com lágrimas de sangue) que adoro comer doces (devia controlar-me um bocadinho mas não resisto). Chocolate (e tudo o que o contenha) está no topo das preferências e depois venha o que vier, que eu como: pão, bolachas, queques, gelados, panquecas, bolos de tudo e mais alguma coisa! Como e, normalmente, gosto de tudo, excepto quando estão carregados de açúcar ou creme. Devido a este pequenito mas determinante facto, gosto de ser eu a fazer as minhas sobremesas e procuro constantemente receitas dentro daquilo que gosto e me sinto capaz de fazer, desde que envolvam procedimentos simples e ingredientes de fácil aquisição! Desde que os dias começaram a ficar mais frios e mais curtos que os domingos passaram a ser dia de comer uma sobremesa diferente. Já fiz um bolo de laranja e cenoura, uma tarte de maçã e esta semana, como tinha comprado alfarroba, saiu um belo bolo de alfarroba e côco. Quando me lembrei de tirar uma foto já ele tinha desaparecido do prato. Estava ma-ra-vi-lho-so! E soube-me ainda melhor porque não tinha açúcar nem gorduras! Receita? Bem, como prova do meu carinho e solidariedade (sei bem o que custa aniquilar gorduras e destruir a maldita celulite) , digo-vos que a receita base é esta (do blog Cozinhar sem Lactose). Alterei aqui umas coisitas para cumprir os meus requisitos. "Quais?", perguntam vocês. Então, aqui vai outra manifestação da minha generosidade. No meu bolinho não usei farinha de trigo, usei farinha de aveia; não coloquei açúcar (nem branco, amarelo ou mascavado), substitui-o por umas quatro colheres de sopa de mel; quanto ao óleo de girassol, como não o tinha em casa, troquei por sumo de uma laranja e acrescentei a raspa da mesma para dar um toque diferente; para untar a forma, usei azeite. Simples, rápido e menos calórico (porque é preciso preparar o corpinho para as festas que aí vêm)! Para o próximo fim-de-semana, estou aqui a pensar numa receita mais natalícia (porque uma boa rabanada sabe muiiiito melhor fora de época)! Se correr bem, prometo que conto!