Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

diasdechocolate

diasdechocolate

Ser (sempre) livre

É uma sorte sermos livres num mundo que, infelizmente, subjuga populações à covardia do silêncio, obriga à adoração de "líderes" que disso têm apenas o nome! Tivemos a sorte de um grupo de Homens, corajosos, nos libertarem dessas amarras o que nos permite, agora, dizer o que pensamos, votar, vestir o que queremos....Não desperdicemos estas oportunidades por nada, muito menos por indiferença ou preguiça. A liberdade dá-nos trabalho mas a ditadura dar-nos-ia muito mais!

Que sejamos sempre livres! No dia-a-dia, connosco e com os outros!

liberdade2.png

 

40 anos...do dia mais importante para Portugal

Hoje é incontornável o tema do quadragésimo aniversário da Revolução. Este dia deverá ser o mais importante para o nosso país, por razões tão óbvias que não carecem de justificação. Alcançaram-se liberdades fundamentais para a vida digna, justa e igualitária em sociedade: a liberdade de expressão, a liberdade de voto, a igualdade entre géneros e muitos, muitos outros valores que, certamente, aqueles que passaram por esta fase darão mais valor do que eu, que já nasci em democracia e que soube dos factos pelos livros de História. Lamentavelmente, sei muito pouco do 25 de Abril. E é um grande lapso que tenho de corrigir com máxima urgência. Porque de cada vez que se fala desta Revolução tenho a consciência da sua grandeza e do acto heróico que foi por parte de quem a pensou e executou. 

A celebração de mais um aniversário trouxe consigo trocas de palavras entre quem nada fez por esta mudança e aqueles que a executaram. É lamentável que não lhes tenham dado a palavra na cerimónia oficial mas, na minha opinião, é revelador do carácter dos políticos que temos. Suspeito que estarão mais personalidades históricas na cerimónia improvisada pelos Capitães do que na Assembleia da República, mas isso é outro assunto!

Voltando ao 25 de Abril, muito se tem falado na violação dos direitos alcançados, nomeadamente, pela classe trabalhadora e pensionistas. A saúde, a educação e a cultura, pilares fundamentais de um país evoluído, veêm os seus orçamentos cegamente cortados, o que prejudica a execução das suas funções. Milhares de jovens têm abandonado o país nos últimos meses, permitindo que outras nações lucrem com a formação (de excelência) dada a estes novos emigrantes. O retrato do país é  negro, muito negro até, mas eu acredito que superamos mais esta crise. Só que acho que nós, cidadãos e votantes deste país teremos de mudar a nossa atitude perante a política e os políticos. É importante ver, ler e ouvir noticías de diferentes fontes para ter opinião fundada do que se passa (mesmo sendo absolutamente esgotante fazê-lo) e é fundamental exercer o direito de voto. Porque agora é uma escolha nossa e é das coisas que mais tenho receio de perder. Já passei por algumas eleições (não muitas), nem sempre ganhou quem votei mas ainda assim, senti que fiz a minha obrigação. Afinal de contas, não faz muito sentido reclamar de algo para o qual não se contribuiu. É assim que vejo aqueles que não votam e depois se fartam de reclamar de tudo, não tendo qualquer legitimidade para isso. 

Antes de terminar, deixo-vos só o meu desejo: que este dia seja celebrado por muitos anos e as dificuldades vividas na ditadura não sejam mais do que relatos distantes. Liberdade sempre!!!