Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

diasdechocolate

diasdechocolate

Taxistas, Uber e Cabify: quem ganhará esta corrida?

Estas manifestações dos taxistas contra as restantes plataformas de transporte de passageiros deixam-me sempre um bocadinho incrédula e com vontade de bater numa série de gente. Por sorte, tenho o meu carrinho e desloco-me para todo o lado nele sem problemas pelo que não necessito nem de taxistas nem de uber/cabify e vejo esta guerra um pouco à distância. À hora de almoço e movida por alguma curiosidade sobre vida selvagem, vi uma ou outra coisita sobre a manifestação e surgiram-me (mais uma vez) algumas perguntas:

 

1. Afinal, o que reivindicam os taxistas? 

Legislação equitativa para todos. Dizem eles! Porque eu fico baralhada quando os oiço já que defendem leis que estabeleçam direitos e obrigações para todos por igual mas a forma como se manifestam deixa no ar a ideia de que querem ser superiores às restantes plataformas. Prova disto é que sempre que viam algum motorista do "inimigo", os taxistas desataram a arremessar pedras, ovos e pontapés e ameaçaram os motoristas! Não satisfeitos com tamanha estupidez ainda exigiram que a polícia impedisse os ditos motoristas de "trabalhar" quando a polícia tem apenas como função garantir a segurança e a ordem na manifestação.

 

2. Será que esta é mesma a melhor forma de lutar por direitos iguais?

Cheira-me que não. As greves e manifestações são legais e não devem ser impedidas de jeito nenhum. No entanto, aqueles que nelas participam devem fazê-lo de forma civilizada, com energias apontadas para os motivos da sua luta e não desatando a destruir carros, agredir e maltratar pessoas e prejudicando milhares de pessoas que se tentavam deslocar na cidade e para fora dela (para o aeroporto, por exemplo). Vi cenas absolutamente lamentáveis de taxistas arrogantes e mal-educados, a tratar os jornalistas como se tratassem de amigos de infância e a agredir polícias como se estes tivessem alguma culpa da situação em que se encontram!

 

3. Será que os taxistas não terão algo a aprender com estas plataformas de transporte?

Está-me a aparecer que sim. Aliás, de dia para dia acho que têm mais para aprender. Não digo que tudo corra bem nas outras plataformas e que tudo corra mal com os taxistas.  É claro que não. Mas há aspetos que prejudicam claramente os taxistas e que deveriam ser encarados como estímulo à mudança e não como motivo de agressões! Mas isto sou eu, que não passo de uma pessoa que também faz concorrência aos taxistas, já que ando no meu carrinho para todo o lado! Voltando à questão, acho que os taxistas têm que pôr pés ao caminho sob pena de não perderem os poucos (segundo eles) clientes que têm. Nomeadamente, ao nível do civismo. Provavelmente, se necessitasse de ser transportada, o táxi passaria para segunda opção, pela falta de educação, respeito e civismo demonstrada por alguns taxistas. A consistência dos argumentos que apresentam também não é lá grande coisa já que defendem com unhas e dentes leis iguais para todos trabalharem mas comportam-se como se só eles pudessem trabalhar. Tenho para mim que os taxistas não querem legislação justa para todos, os taxistas não querem mesmo é concorrência! Caso contrário, não teriam desatado aos pontapés sempre que passava um veículo deste género e deixavam a quem de direito a responsabilidade de proibir ou permitir a circulação deles! Acho que é nestas atitudes que perdem a razão que poderiam ter! Outro aspeto que marca pontos a favor da uber e cabify é mesmo a aparência. De tudo: carros, motorista e protoloco associado. Já utilizei táxis e nunca a uber ou cabify mas confesso que, por vezes, fiquei desiludida com as condições do taxi em que seguia, não por serem antigos ou desconfortáveis mas por virem frequentemente perfumados com cigarro e suor. Um autêntico deleite! Para rematar em beleza, a postura do taxista que sendo algumas vezes arrogante (já aconteceu comigo) ainda têm uma certa tendência para se enganarem no caminho ou para fazerem mais três ou quatro quilómetros só para aumentarem o valor da corrida (também já aconteceu comigo)! Tudo isto bem somadinho, é capaz de não ter um resultado positivo para os taxistas. Já para não falar na forma como a uber e cabify têm reagido a tudo isto mantendo firme o mesmo argumento dos taxistas de que deve existir legislação para todos mas não partilhando da forma como os taxistas a defendem!

 

Como já disse, não sou utilizadora de nenhum dos meios mas parece-me que com estas ações violentas e sem nexo, os únicos prejudicados são mesmo aqueles que se manifetstam injustiçados e, claro, aqueles que se precisam de deslocar, com ou sem carro. Com ou sem uber. Com ou sem cabify! Por isso gente, ponham-se finos. Lutem nas vias legais e sem agressões verbais e físicas porque se continuarem a defenderem desta triste forma a vossa causa, garantidamente, quem ganhará não serão os taxistas. Mas esta, é só a minha perpectiva!!!