Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

diasdechocolate

diasdechocolate

Dramas (informáticos)

Enviar e-mails "sérios" é coisa que me põe logo os cabelos em pé pelo simples facto de me obrigar a utilizar um palavreado do mais caro que existe. E quando é para aquelas instituições que se tem de tratar tudo o que é funcionário por Sr. Dr. e Excentísssimo? Um terror! Acho sempre que ficou um "Sr. Dr." qualquer por colocar ou que há alguma palavra que não é rebuscada o suficiente para pertencer àquele textinho. E o assunto do e-mail? Outro problema dos grandes (que tenho neste preciso momento em mãos): não gosto de grandes frases porque, no fundo, é só o assunto do e-mail mas também tenho receio de não ser tão objectiva como desejo e a pessoa para quem envio não considere importante o suficiente para o abrir rapidamente. É claro que para isto contribui a minha fraca capacidade criativa para inventar um conjunto de três ou quatro palavrinhas que resulte na perfeição. Acho que amanhã de manhã ainda estarei a pensar nisto....

Dias de Verão...que lembram o Outono!

Noutras circunstâncias estaria neste momento a trepar paredes pelo facto de estar um tempo da treta. Está fresquinho (de mais), o céu não passa de cinzentão e a chuva não nos larga! Só que hoje, não sei bem porquê, a metereologia não afecta a minha disposição. Até me soube bem ouvir a chuva ao acordar.* Fiquei logo a pensar nos dias mais frios, com a lareira acesa e com um livrinho nas mãos. Para o cenário ser perfeito, é só juntar um chá ou café quentinhos e um bolinho qualquer acabado de fazer! Isso, para mim, é um belo Outono. Não é que seja a minha estação favorita (sou mais de Primavera e Verão) mas todas as épocas do ano têm os seus encantos, só é preciso encontrá-los e aproveitá-los bem!

 

 

 

* Isto é o que digo agora, lá para o Outubro já estou a deprimir por não ver o sol e vestir sempre mangas compridas!

Aos novos "caloiros"...

Espero, sinceramente, que os resultados de ontem sejam uma mudança positiva para todos os novos alunos do Ensino Superior! Não faz assim tanto tempo que eu própria saltava de alegria em frente do computador ao saber que tinha entrado na minha primeira opção. No curso e cidade que queria. Implicou uma mudança de cidade, de estilo de vida, de hábitos mas foi tão bom. É um facto que se aprende ao longo de toda a vida mas aqueles anos são especiais! Aproveitem-nos bem (dia e noite :P) sem esquecer o objectivo principal! Esqueçam a ideia que ser veterano é giro ;)

 

Boa sorte a todos!

...

Hoje é um daqueles dias em que só me apetece comer, comer, comer...já foi chocolate, fruta, pão...daqui a nada queixo-me mas agora está a saber-me tããão bem !!!

Há coisas incompreensíveis...

Estava aqui a ler esta notícia e como sempre que oiço notícias sobre violações, fiquei com os nervos em franja. Por duas razões. Para já, pela violação, que acho um acto execrável e covarde, depois pela passividade das autoridades que sabendo da situação, não o julgam e ainda permitem que se mantenha na mesma faculdade das jovens que (alegadamente) violou! Contrariamente, admiro a coragem de uma das raparigas que, em sinal de protesto, carrega o colchão da sua cama, onde foi violada, até que o violador seja impedido de frequentar a universidade. Este caso foi há dois anos e eu não compreendo como é que ninguém fez o que quer que fosse para mudar isto!

Pelo que se percebe, a inércia das autoridades em situações de violação não acontece só por aqui. Infelizmente, há muita insensibilidade e incompetência na (má) gestão destas situações. Constata-se isso quase diariamente com as notícias que nos são dadas pela comunicação social. Normalmente, não se faz nada e espera-se que a vítima esqueça e sofra sozinha mas será assim tão difícil compreender que os violadores precisam de tratamento para se recuperarem? De nada adianta condená-los e colocá-los numa cela uns anos se ninguém lhes explicar a maldade e a gravidade do acto que cometeram. A condenação está longe de chegar para acabar com estas situações só que quem tem capacidade para mudar alguma coisa parece não ter capacidade (ou sensibilidade) para o ver! 

O regresso da selecção

Sou só eu ou há mais pessoas que têm zero vontade de ver a selecção? E não falo só de ver os jogos. Estou completamente indiferente às notícias, a quem está, a quem ficou de fora....acho que ainda estou de ressaca do (vergonhoso) Mundial a que assistimos. Também não é de estranhar, aquilo foi tão mau que é normal que o "trauma" demore a passar! A ver vamos se isto passa quando começar o jogo no domingo mas acho difícil, um jogo "a feijões" com uma equipa pouco conhecida, não é nada de muito motivante...

Coisas da cozinha...que eu detesto!

1 - Limpar. Pois é, das actividades que mais detesto é aquela que se faz no fim! É das tarefas que dispenso mas gosto demasiado de viver num local limpinho e cómodo. Como não é possível conjugar as duas, vence a limpeza!

 

2 - Amanhar o peixe. Bem, disse que limpar é o que mais detesto mas isto de abrir o peixe é nojento. Não é pelo sangue mas faz-me confusão ter de tirar aquilo tudo do animal;

 

3 - Picar cebola. Gosto muito de arroz mas picar a cebola é coisa que me deixa sempre de lágrimas nos olhos e faz-me perder o triplo do tempo que seria necessário para um simples refogado! Lamentável!!

 

4 - Lavar a loiça à mão (depois de já ter ligado a máquina completamente apinhada de loiça).Parece que a família triplicou...

 

5 - Arrumar a loiça. Principalmente naqueles dias em que enchemos a máquina da loiça de tal forma que nem espaço haveria para mais um pires de café...

 

6 - Cozinhar mais do que três refeições seguidas. Não é que não goste de cozinhar mas fico sem ideias...

 

7 - Ver a mesa posta com pratos ou talheres diferentes...não é por nenhum motivo especial mas não gosto!

 

8 - Preparar o feijão verde. Descascar batatas (desde que não sejam dez quilos) não é coisa que me aborreça muito mas o feijão verde sim. Eu gosto muito de comer mas a verdade é que se perde ali uma boa meia hora só a cortar os cantinhos e abrir a meio. Para uma pessoa é rápido, o problema é quando se tem de preparar para a família toda!

 

9 - Abrir o frigorífico e perceber que o meu chocolate acabou. É um desgosto!

O que se faz com os sonhos?

Vivemos uma época economicamente, socialmente e até pessoalmente difícil. Quem trabalha pode considerar-se um privilegiado (embora as condições de trabalho estejam a degradar-se a olhos vistos), quem não trabalha vai procurando...e desesperando! Currículos enviados, montes de telefonemas e respostas muito escassas e quase sempre negativas. Eu ando nesta vida há um ano. A opção estrangeiro esteve sempre em cima da mesa mas alguns entraves que surgiram e outros motivos pessoalmente fortes foram-me fazendo ficar. Com o início de Setembro e o retorno às "rotinas", a sensação de frustração é mais forte e acabo por passar o dia completamente bloqueada, sem saber para onde me virar. Se é verdade que estava (e estou) optimista em relação aos próximos tempos, não é menos verdade que andei todo o dia com aquela sensação de desnorte que em nada ajuda a continuar esta luta. Não é só comigo que é assim, há milhares de pessoas na mesma situação, com as vidas em stand-by! No meio disto tudo, os sonhos que se constroem vão sendo adiados. Porque não é a melhor altura, porque não há condições ou energia para os pôr em prática, porque não têm viabilidade...Quando vejo casos de pessoas que acreditaram nos seus sonhos e fizeram deles verdadeiros sucessos, fico com a esperança que um dia também eu serei capaz de o fazer! Não é que tenha ideias de génio, que sonhe com alguma coisa que vá revolucionar o mundo (sou uma espécie de zero à esquerda em imaginação e criatividade) mas também estou a falar de sonhos e não de empreendedorismo. Porque os sonhos não têm necessariamente de ser materializados em empresas altamente rentáveis, embora em época de crise isso até dê muito jeito!

A minha vida de sonho não passaria apenas pela actividade para a qual estudei. Vai muito para além disso, das coisas mais simples, como ter sempre um bom livro para ler até actividades mais sérias ou, quem sabe, talvez profisionais. Não gosto nada de revelar porque imagino logo a expressão de quem me ouve, como que a dizer "estás maluca?! não queres mais nada?!" (não fiquem já a pensar que sonho casar-me com um multimilionário e ir viver em Nova Iorque, porque não é nada disso, sou um pouco mais modesta!). Tenho a consciência que sonho acima das minhas possibilidades mas acho que é assim que deve ser, manter os pés na terra e sonhar sem censura!

1º de Setembro

O inicio de Setembro (ou o fim de Agosto) é por excelência uma altura de balanços e promessas, idênticos aos que se fazem no primeiro dia do ano. A dieta que se pretendia começar em Janeiro (e se ficou só pelas palavras) ou o exercício físico que foi ficando para trás estes meses mas que agora, com o início de um novo ciclo, voltam a estar na ordem do dia.

Para mim, o início de Setembro sempre foi deprimente. Não que não quisesse voltar à escola, porque queria, até porque já estava ligeiramente farta de férias (três meses cansam!) mas o regresso à rotina é sempre stressante! Os pais voltam ao trabalho, o sol e o calor (normalmente) dão lugar ao frio e à chuva e as noites começam cada vez mais cedo! Apesar de tudo isto, estou com uma fezada para este mês que nem imaginam. Das duas uma: por ter terminado um mês terrível de muita coisa má (sim, foram férias mas só no calendário) ou é porque, de facto, virá aí alguma coisa boa! Acho (e espero mesmo muiito) que assim seja, já chega de coisas más, de objectivos que não se alcançam, de desilusões....Setembro está aí, que venha recheado de boas surpresas!!!

Pág. 2/2